Quem sou eu

Minha foto
Salvador, BA, Brazil
Mestrando na área de saúde, acompanha a Formula 1 desde o início da década de 1990. Entusiasta no cuidado automotivo, leitor e colecionador de revistas especializadas e livros sobre Ayrton Senna.

Seguidores

terça-feira, 31 de julho de 2012

TESTE – GOL GERAÇÃO IV (G4) 1.0 8V Total Flex

A Volkswagen lançou a primeira reestilização do Gol Geração 5 (que alguns chamam de Geração 6) nesta primeira quinzena de julho de 2012. As mudanças visam padronizar o modelo com outros VW lançados no mercado, como Jetta e Fox. Aliás, as mudanças o aproximaram muito deste último.

Neste ângulo lembra muito o Fox...
Foto: Terra

...inclusive o capô, mas muito do G5 foi mantido...
Foto: Terra

...os para-choques também se assemelham aos da raposa
Foto: Terra

O tópico é sobre a Geração IV, mas com as mudanças recentes, foi necessário dar uma pincelada na geração atual.
Sem entrar em muitos detalhes sobre as gerações anteriores, o Gol manteve muitas características entre as gerações 2 a 4, sendo a terceira a mais elogiada pelos usuários. A geração 2 (conhecida como bola ou bolinha) trouxe linhas arredondas ao projeto anterior (chamado de gol quadrado) e 55cv de potência (Gol 1.0 Mi).

Primeira geração
Foto: Terra

O Gol G2 foi praticamente um novo carro (a exemplo do Geração 5), pois os consumidores reclamavam do teto baixo e do pouco espaço para as pernas. Os faróis tornaram-se ovalados para acompanhar o Golf alemão de 1994. Dava um trabalho e tanto passar proteção para vinil e plásticos da Grand Prix naqueles parachoques enormes.

Gol Geração 2
Foto: Terra

Gol Geração 3

O Gol G4 foi lançado em 2005, mantendo boa parte do desing originado na geração 2. Será produzido até 2013.







Aqui encerado com a cera informada no post: “ENCERAMENTO AUTOMOTIVO - CERA COLLINITE”.

O Gol G4, hatch compacto, é uma opção bastante requisitada para quem está adquirindo seu primeiro veículo e/ou buscando um veículo 0km. Mesmo com a chegada do G5, continua à venda o modelo anterior, ainda com motor longitudinal. Considerando os dois modelos, o Gol é o líder de vendas no primeiro semestre de 2012, com 126.572 unidades vendidas. Desde sua primeira geração, está no mercado há 32 anos e há 25 é o carro mais vendido do país, com quase seis milhões de unidades.

Motor longitudinal - VW Gol G4

Vamos então para a avaliação da máquina. Trata-se de uma versão básica, duas portas, apenas com alarme e travas elétricas, que utilizei durante quatro anos :



GOL G4 1.0 8V TOTAL FLEX
Motor
1.0
Potência Máxima
68/71cv (gas/álc)
Pneus
165/70 Aro 13
Peso
856Kg
Reservatório de Combustível
51 litros
Porta-malas
285 litros
PRÓS

  • Quem busca um carro 1.0 está buscando principalmente um carro de valor acessível e econômico. O G4 apresentou consumo com gasolina entre 14 e 15,5km/l e cerca de 10,5km/l com álcool (33% cidade e 66% estrada), mas com manutenção constante (velas, cabo de velas, filtros, óleo motor, de transmissão, fluido de freio, aditivos, etc.) e direção econômica;
  • O custo das peças é acessível: velas a cerca de R$80,00, pneus duram bastante;
  • Visual bonito, mesmo tendo sido lançado em 2005;
  • Relativamente confortável, quando comparado com outros modelos concorrentes, mas com grande dificuldade de encontrar uma boa posição para dirigir;
  • O baixo centro de gravidade confere boa estabilidade;
  • Os freios são muito eficientes;
  • Os sensores reconhecem rapidamente a mudança de combustível após abastecimento;
  • As marchas curtas (1ª, 2 ª e 3 ª) conferem boa aceleração e retomada, contudo o giro do motor se eleva muito, podendo aumentar o consumo, o jeito é trocar as marchas rapidamente, com pouca aceleração;
  • Autonomia de 650km com gasolina e 450km com álcool (sem contar a reserva);
  • Os comandos elétricos são simples e de fácil acesso.
  • Ágil nas manobras;
  • Pintura de boa qualidade, resistente a ferrugem, mas queima após muito tempo e frequência de exposição ao sol.


CONTRAS

  • Parte elétrica instável com relativamente constantes queimas de lâmpadas (farol, lanterna traseira, painel);
  • Suspensões e amortecedores duros, que auxiliam na estabilidade mas que estão sujeitos a frequentes quebras ao passar por buracos;
  • Muito visado para roubos e consequentemente, seguro elevado;
  • Tanque de partida a frio muito grande (2 litros), a gasolina pode oxidar, o ideal é colocar menos de 1 litro;
  • A posição baixa compromete a visibilidade e juntamente com o volante alinhado à direita do motorista compromete a ergonomia;
  • Porta-malas muito pequeno, um carrinho de bebê é colocado com dificuldade, não sobrando muito espaço para outras coisas (apesar de esta ser uma característica comum à maior parte dos carros desta categoria);
  • Frequente formação de borra de óleo no suspiro antichama, ocasionada por mistura de água advinda do ar ou do combustível (álcool principalmente) ao óleo. Este é um problema crônico do modelo, e bem incômodo, ter que limpar a mangueira e caixa de ar e trocar varetas que enferrujam, além de custos com a troca do antichama. O uso de combustíveis vencidos (com mais de dois meses) também pode agravar o problema;
  • Tambor de freio traseiro enferruja rapidamente, a solução é pintar;
  • Direção mecânica pesada;
  • Opcionais caros;
  • A versão básica obriga mover diretamente os espelhos retrovisores, não há sequer um bastão para se operar manualmente, além da ausência de desembaçador e limpador traseiro e o limpador dianteiro não possuir temporizador;
  • Maçanetas tendem a queimar com o sol, descascarem e ficarem brancas;
  • Assoalho baixo sujeito a impactos;
  • Antena do rádio interna possui má recepção;
  • Não se adapta bem a conversão à gás, ocasionando frequentes panes elétricas;
  • Se as palhetas do limpador forem invertidas na troca, arranharão o para-brisa;
  • A chaparia é maleável em alguns pontos (principalmente na traseira), deformando ao se pressionar;
  • Elevado barulho interno a partir de 100km/h;
  • Frequentes quebras nas travas das portas e fechaduras, que são frágeis e sujeitas a roubos;
  • Porta luvas pequenos;
  • Caixa de ar permite a passagem de sujeira para o TBI;
  • Primeira marcha com freqüente dificuldade de engate.


OBSERVAÇÃO

A melhor proporção álcool e gasolina observada (potência x economia) foi: reserva com álcool e completar com gasolina, ou seja: 6 litros de álcool e 45 de gasolina (1/7,5).

Uma unidade 2011 foi utilizada por cerca de 20 dias. Entre as diferenças observadas estão: elevações na empunhadura do volante, que pode ser interessante para alguns e desconfortável para outros e a colocação de um “econômetro”, que visa informar e otimizar em tempo real o consumo de combustível.

Econômetro do VW G4

Na verdade, o artefato, indica apenas a aceleração, não sendo um recurso muito confiável para monitoramento do consumo. Por exemplo, se você pisar fundo no acelerador em segunda marcha, a rotação vai se elevar bastante e portanto, o consumo também se elevará, fato demonstrado corretamente pelo econômetro. Contudo, se você fizer o mesmo em 5ª marcha, mas em baixa velocidade, a rotação se encontrará baixa e o consumo será apontado erroneamente como elevado, pois o computador só interpreta a aceleração.

Quando em comparação com Fiat Mille e Chevrolet Celta, apresenta maior espaço interno.

O modelo 2011 apresentou aceleração e retomadas sensivelmente mais efetivas que o 2005. Todavia, esta potência líquida refletiu no consumo, pois como descrito no post “MOTOR 1.0 AINDA É O MAIS ECONÔMICO?” "Não há como o carro ganhar desempenho sem comprometer o consumo”. As médias com álcool estiveram próximas a 8,5Km/l e com gasolina cerca de 12km/l, mas como trata-se de um carro de locadora, uma série de variáveis (manutenção, amaciamento incorreto, direção agressiva) podem interferir no consumo.

Preço, versão básica, 0km, com 4 portas em Julho/2012:
FIPE: R$ 26.186,00
VW: R$ 26.165,00

Se você deseja um carro confiável, econômico, de manutenção e preço acessíveis, ágil dentro das limitações de um motor 1.0, e de fácil revenda, considere o Gol G4.

VW Gol Geração 4


Referências

Revista Quatro Rodas, edição 481-B. 40 Anos de Design. Agosto/2000
Revista Motor Quatro, edição 28, ano 3. Jun/2012

23 comentários:

  1. otimo carro nao deveria parar de fabricar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mas estava um pouco defasado, a disposição longitudinal do motor era há muito criticada, é so observar a quantidade de espaços vazios. No G5, reduziram muito o espaço interno, nesta nova tendência de compactar cada vez mais os modelos.

      Abraço.

      Excluir
  2. Sempre tive carro da Fiat,mas em 2012, resolvi comprar um gol g4 e faz exatamente um ano que estou com o carro.O que pude constatar é que o veículo tem um espaço interno muito bom, porta malas razoável e um desempenho na estrada, que me deixou surpreso por se tratar de um carro 1.0
    Só fiquei um pouco surpreso, quando ao ligar o veiculo de manhã, começou a bater uma válvula!
    Consultei um mecânico e o mesmo me perguntou se o veículo havia estado parado muito tempo,(sem ligar) pois por se usar óleo sintético e o veículo ficar inativo por muito tempo, poderia acontecer esse problema.No mais, não pretendo tão cedo, sair da linha da volkswagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela participação Braga. A Volkswagen deveria valorizar mais sua clientela fiel e oferecer melhores preços em peças e serviços.

      Excluir
  3. sou dono de um g4 2012 e tenho alguns problemas principalmente elétricos, simplesmente quebrou a trava elétrica dentro da porta, sendo que a fechadura do carona soltou sozinha depois disso, com 4 pessoas ele bate no chão com qualquer ondulação mais acentuada (mesmo em baixa velocidade) a direção parece de caminhão de tão pesada, econômico não é até 15mil km fazia em média de 8km/l o mesmo consumo de um tempra, dos 15mil em diante passou a 10km/l, a uns dias (por uma pane elétrica) acionei o SAC da VW para pedir ajuda, para minha surpresa alegaram que minha garantia tinha vencido a 3 dias e por isso não podiam fazer nada, resultado, uma boa caminhada até um mecânico que fez o ajuste, não preciso dizer que estou muito insatisfeito, não é?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O G4 tende a necessitar de um capoteiro com o passar dos anos. No seu caso foi muito precoce. Como falei na postagem, também achei esta versão mais recente do G4 mais beberrona. Sobre a garantia, as empresas de um modo geral deveriam se preocupar em satisfazer e fidelizar sua clientela, a VW poderia conceder esta pequena extensão da garantia para evitar propaganda negativa pelo resto da vida de um usuário insatisfeito.

      Excluir
  4. meu gol g4 e novo, e bem econômico nas subidas quando to com minha sogra no carona ele deve fazer uns 5 quilômetros no máximo e que eu tenho que pisar fundo pra chegar logo sabe como e ne.
    mais quando to com minha loirinha e so alegria pra vc ter ideia com o som ligado ele deye fazer uns 18 a 22 klm isso vai depender da banguela vc joga a macha no modo offmach (neutro) ai a rotação do motor vai cair pro zero ,e como se ele estivesse dormindo ligado a queima do combustível reduzida a mais de noventa e cinco por cento ou seja o motor de 71cv necessita apenas de aproximadamente três por cento de metro- litro de gasolina para manter seu percurso operacional de rotação do motor .obs este calculo e baseado em hrs blz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andar na banguela pode ser bem perigoso, pois ao perder tração dirigindo em velocidade há o risco de perder o controle do carro. Ao perder velocidade e reacelerar, as RPM tendem se elevar acima da velocidade de cruzeiro, podendo aumentar o consumo.

      Excluir
  5. Meu gol g4 2013 e bastante eficiente,economlco com gassolina aficionada de 30% etanol numa reta cheguei aos 180km,estou satisfeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A velocidade apontada no painel e a real, nestes casos, costumam diferir.

      Excluir
  6. Boa tarde. Pessoal leiam se voces estiverem interessados em adiquirir um gol, tive um gol g4 vendi para comprar outro carro, sabe qual? outro gol, é realmente o seguimento compacto da vw são muito bons. Bem o novo gol que comprei foi um g5 1.6, primeiro vou falar do g4 que tinha 2009. O carro realmente muito estável, freios muito bons independente da condição da pastilha (desde que esteje boa claro), o carro respondia muito rapido a aceleração como sou um pouco pé quente só andava com o giro alto e assim consumia um pouco mais mas eu estava sempre ciente disso, mas mesmo assim rendia em torno de 10km/l variando claro pra mais e para menos. O carro "durinho" (estava novo), ele nao tinha muito barulho de peça, carro muito forte para 1.0, somente duas coisas que deixaram a desejar no modelo assim para você usuario que nao entende muito da mecanica falo de conforto é a baixa altura (mas da boa estabilidade ao carro) e o barulho do motor em alta velocidade mas tudo isso foi mudado na nova geracao o g5. Bem pessoal eu vendi o meu G4 para comprar um g5 pelo motivo mesmo dele esta saindo de linha e tambem por nao ter ar e os dois motivos acima, e para comprar um carro 1.6. Eu comprei ele pelo fato de ter 101 cavalos na gasolina e torque em torno de 50% mais que o 1.0 que gira em torno dos 15mkgf carro com menos de 1000 kg e motor de carro "grande" acreditem ele coloca no chinelo a estrada 1.8 apesar dos seu 130 cavalos. Você sabe aquela saveiro que sempre te passa nas BR's? então ela tem o mesmo motor do gol 1.6. Carro mais alto que seu antecessor, com mais opcionais, porta mala permanece o mesmo volume, 285 l, o mesmo tem velocidade maxima informada por alguns sites de 190 km/h enquanto uma picape 1.8 da fiat 172km/h claro gente que alguns ja chegaram a mais (nao se deve, cuide de si e dos outros seja prudente), no entanto o gol 1.6 realmente é um carro de dar inveja a muitos na subida nao tem fraqueza, ar condicionado influencia pouco no desepenho (mas no consumo nao rsrs), o design do veiculo é muito bom. 8 valvulas, 3,90 m de lagura, estabilidade boa, armotecedores tanto dianteiros como traseiros independentes, da frente com mais conforto claro, manutencao barata, se necessario resposta super rapida a aceleraçao, cambio curto o que nao faz voce ter muito esforço para pasar de macha. Carros muito bons assim como os da montadora, que na minha opiniao só deveria investir mais em tecnologia para os compactos

    ResponderExcluir
  7. MUITO ECONOMICO.....DE CURITIBA A FOZ DO IGUAÇU 640 KM GASTO 35 A 36 LITROS DE GASOLINA O QUE DA UMA MEDIA DE UNS 18 NA ESTRADA....NA CIDADE TA FAZENDO DE 11 A 13 DEPENDENDO TO TRANSITO....MANUTECÃO BARATA..SÓ O MOTOR 1.0 É FRACO, MAS FAÇO MEDIA HORARIA EM TORNO DE 90 KM CADA HORA EM ESTRADA LIVRE SEM CONGESTIONAMENTO. IVAN PETRY

    ResponderExcluir
  8. boa noite , tenho um gol g4 2010 desde 2010 , comprei ele semi novo com 30.000 km , viajei muito com ele , ele é muito econômico e muito esperto na estrada, gotei bastante dele, nunca me deixou na mão por nenhum motivo , faço manutenção de óleo ,filtro de óleo e combustível , velas na verdade espero ficarem meias ruim e cabos só quando eles estão falhando , então acho q não preciso falar mais nada né, acho um carro perfeito muito bom e na verdade tenho até medo de trocar de carro e errar a mão,vou ficar com ele mais um pouco, detalhe ele esta agora com 199290 km, já fiz o motor dele uma fez , mas eu viajava muito com ele e só a 160 km na faixa ,também é exigir muito de um carro 1.0 né, ele dá até 190 km por hora na descida , muito esperto , meus amigos não acreditavam , tenho varias vilmagens kk

    ResponderExcluir
  9. qual e´ o óleo que pede no manual do g4 2008 8v flex?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Castrol 10W40. Utilizei mas preferi o Repsol, que era o que a montadora recomendava anteriormente. Uma vez assistindo ao programa Vrum, recomendava-se que carros usados colocam-se o mesmo óleo que o proprietário anterior colocava, ou então o recomendado pela montadora. Eu costumava mudar frequentemente, de modo a encontrar um que melhorasse o desempenho, som do motor e duração. Gostei de um Shell, 10W40 azul, semi-sintético acho, mas era mais caro que os outros. Em motos é possível avaliar melhor a eficiência do óleo.

      Excluir
  10. Blz, estava com essa dúvida tbm...tenho um gol g4 8v 2008 flex e tbm estava na duvida em utilizar um óleo sintético ou semi sintético, pois fiz a compra de 4litros de Castrol 10w 40 sintético

    ResponderExcluir
  11. Faez, Tenho um gol g4 2012. ao trocar o filtro de óleo, o rapaz da loja disse que o filtro que esatva no carro ele era de santana robocop e colocou um bem menor. fiquei surpreso pois a troca de filtros sempre foi feita em autorizadas (carro c/ 1400 km). estou preocupado de que o filtro que foi colocado não ser o indicado. poderia me esclarecer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, pesquisando rapidamente vi que é comum esta troca. Mas não tenho como avaliar as consequências desta ação. E acho que você quis dizer 14.000km, correto? Como os filtros são relativamente baratos, o ideal é substituir a cada troca de óleo.

      Excluir
    2. Sou trocador de Oleo e afirmo a você que não tem problema algum pelo simples fato de que quem fabrica o filtro, em muitos casos, mudam somente a numeração ou a embalagem e usam o mesmo filtro.O que importa é a dimensão da rosca do filtro, o papelão interno que tem que ser de boa qualidade [fram, tecfil,wega ou original de fabrica],e a valvula de pressão do filtro.
      Espero ter ajudado :]

      Excluir
  12. Tenho um gol g4 2007/2008 com 62000km rodado.A vareta do nivel do oleo fica com algumas goticulas de agua e com uma gosma que ão tem nem como ver o nivel do oleo já troquei o antichama e continua da mesma forma o oleo que eu uso e o 10w40 mobil será que o oleo influencia para isto esta acontecendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No meu troquei duas varetas por causa da ferrugem (por passagem de água). Talvez diferentes tipos de óleos influenciem na maior ou menor quantidade de borra, cabe a você testar e avaliar. Eu retirava pelo menos uma vez por semana o sifão do suspiro para sacudir e tirar boa parte da borra. É um problema crônico do Gol, e um grande erro do projeto.

      Excluir
  13. qual oleo devo usar no gol g4 2008 sintetico ou semisintetico 10w40

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Usei o sintético da Shell apenas uma vez e por pouco tempo, pois fiz descarbonização e precisei trocar. À época achei caro, creio que outras opções mais acessíveis serão suficientes. É como disse, por tratar-se de um motor já bastante rodado, cabe ao proprietário avaliar qual será o melhor (observar som e maciez do motor, desempenho, consumo, etc).
      Gostei do Repsol/Elaion.

      Excluir